sexta-feira, 23 de maio de 2008

E Peu disse bom-dia!

Às segundas-feiras Peu têm sessões com a fonoaudióloga ás 08h30min da manhã, como acontece com a maioria dos mortais o primeiro dia da semana começa um pouco lento, não é diferente nem para mim nem para Peu, ele fica emburrado, resmungão e dificulta a sua entrada na sala de Marcela, eu fico na sala de espera pensando em achar um motivo para tornar a minha manhã mais feliz, pois, logo depois da sessão tenho que ir trabalhar.

Porém numa certa segunda-feira houve uma grande surpresa, após chegarmos ao Centro Médico pegamos o elevador e a ascensorista que já o conhece brincou com ele como sempre faz, quando eu a ouvi responder: – Bom-dia, Peu! E já foi logo emendando, é a primeira vez que você me deseja um bom-dia. Eu olhei pra ela surpreso e disse: – É a primeira vez que ele deseja um bom-dia para alguém. Ela riu e sentiu-se honrada. Pode até ter sido uma ecolalia (repetição imediata ou tardia de palavras ou frases) afinal eu venho por todo o caminho até chegar ao elevador cumprimentando a todos: o guardador de carros, o jardineiro, o porteiro, a recepcionista, até chegar à ascensorista. O mais importante é que a frase foi dita no contexto, respeitando uma regra social, isso para uma criança autista é um grande progresso. Fiquei muito feliz neste dia.

Continuamos indo as sessões as segundas e quintas-feiras, pegando o mesmo elevador e ouvindo a simpática ascensorista nos desejar bom-dia sem obter resposta de Peu, eu digo então que ele não está a fim de falar, mas ela é persistente e espera assim como eu poder ouvir de novo aquela voz baixinha e calma dizendo bom-dia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário