domingo, 12 de outubro de 2008

Einstein e Isaac Newton eram autistas, afirmam cientistas britânicos

Por Cassiano Sampaio

O Princípio da Gravitação Universal e a Teoria da Relatividade podem ser frutos do intelecto de dois autistas. Dois grandes gênios da ciência, diga-se de passagem, Albert Einstein e Isaac Newton, possivelmente sofriam da síndrome de Asperger, uma forma amena de autismo, segundo notícia divulgada pela Reuters esta semana e publicada no Journal of the Royal Society of Medicine, da Inglaterra. O distúrbio foi descoberto pelo médico austríaco Hans Asperger em 1944, e ocorre em função de um problema de desenvolvimento cerebral que causa deficiências nas faculdades sociais e de comunicação, assim como obsessão. Entretanto a SA não afeta o aprendizado, nem o intelecto. Muitos portadores dessa síndrome possuem talentos ou habilidades extraordinárias.

Os pesquisadores da Universidade de Cambridge e da Universidade de Oxford, estudaram as personalidades e a biografia de Einstein e Newton.


Isaac Newton é nitidamente um caso clássico da síndrome de Asperger. Não falava e esquecia de comer, tamanho seu envolvimento com o trabalho. Começou a desvendar a lei da gravidade aos 23 anos, era um sujeito distante, de poucas palavras, e freqüentemente tinha acessos de mau humor. Desde a infância, quando se apaixonava por um tema, ele o fazia com tanta intensidade que se impunha longos períodos de solidão para estudá-lo. Outros traços da síndrome de Asperger, o desleixo com a aparência e a mania de reescrever até vinte vezes os seus estudos, sem fazer quase nenhuma alteração de uma cópia para outra.


No caso de Einstein, que formulou a teoria da relatividade aos 26 anos, os sintomas também seriam claros. Quando criança, ele costumava repetir a mesma frase durante horas e estava sempre sozinho. Mais tarde, na Universidade de Princeton, adotou uma rotina curiosa. Fizesse chuva ou sol, todos os dias, ele e seu único amigo (um matemático neurótico chamado Kurt Göbel) saíam para passear depois de se telefonarem pontualmente às 11 horas. Einstein, assim como Newton, também tinha uma maneira peculiar de vestir-se. Ele mantinha sete ternos idênticos.

A maioria dos autistas que chegam a universidade possuem a SA e tem um Q.I normal ou acima da média. A fala desenvolve-se normalmente, existe a inversão pronominal, a linguagem é repetitiva, existe a falha em entender regras que controlam a conduta social, fazem uso de temas repetitivos, as preocupações são intensas, possuem muita originalidade e criatividade. Uma citação de Isaac Newton sobre como revolucionou os princípios físicos, matemáticos e astronômicos, representa sua personalidade: "Se enxerguei além dos outros é por que estava no ombro de gigantes."

Texto extraído do site SHVOONG

4 comentários:

  1. Olá Marcelo, descobri seu blog por acaso, quando pesquisava textos relacionados ao Autismo.
    Estou me formando em Peagogia e meu TCC terá como tema principal a criança autista. Quero muito fazer um trablaho que realmente contribua para outros profissionais da educação e quebre alguns tabus ainda existentes.
    Se acaso vc tiver alguma sugestão, por favor me envie através do email: julilik_26@hotmail.com
    Muito obrigada !
    Seu blog é muito esclarecedor, tenho certeza que ajuda muita gente.....

    ResponderExcluir
  2. oi Marcelo,amei seu blog!!

    ResponderExcluir
  3. Oi Marcelo, adorei seu blog, parabéns!
    Eu tenho um filho de 10 anos, que não tem o diagnóstico de asperger fechadoainda...corro com ele em médicos desde os 3 anos de idade, é tudo mt complicado, mas, mês de Abril vou para São Paulo com consulta já marcada com uma Neuro que tem mt experiência na área.
    Espero voltar de lá com diagnóstico resolvido para poder ajudá-lo da forma correta e eficiente.
    Então...todo site e blogs, que trabalham de forma correta sobre o assunto me interessa muito.
    Vivo pesquisando, procurando, fuçando...e, olha só achei teu blog.
    Parabéns está muito interessante e com informações que eu ainda não tinha, portanto, muito obrigada.
    Bjo grande e muita felicidade e grandes realizações com o Pedro.
    á

    ResponderExcluir
  4. Me desculpe adentrar em território restrito e passional.
    Mas se pretendemos viver dentro do espectro da realidade, devemos ser e ajudar as pessoas se manter dentro da lógica.
    Li muitos estudos quais diziam que Einstein, Newton, Mozart entre outros fossem autistas Asperger.
    Dentro da minha área de estudo, para quem entende e sabe que o Autista Asperger não consegue manter o seu pensamento nas condições abstratas, sendo que assim são extremamente concretos e por isso supra competente em suas áreas obsessivas.
    Por isso é de se usar a lógica e pensar que tais fatos não sejam reais, já que nenhum diagnóstico jamais pôde clinicar tais síndromes nesses pensadores, mas mais que apenas usar do chutômetro para diagnosticar alguém, a grande falha fica por conta de que Albert, Mozart em especiais possuíam estrema capacidade criativa abstrata, e apenas com essa afirmação cai por terra a teoria de que ao menos esses dois teriam Asperger ou Autismo Clássico.
    É pensável que alguns gênios possuíam outros distúrbio, como no caso de Einstein que aparentava ter Dislexia.

    ResponderExcluir