terça-feira, 23 de setembro de 2008

Brincando com os coleguinhas

Peu começou a freqüentar a escola desde que tivemos o primeiro alerta sobre o seu autismo (setembro/2006), optamos por colocá-lo na mesma escola que sua irmã Mariana (9 anos), pois fica próxima a nossa residência e lá sempre tivemos um bom relacionamento com a direção e com as professoras. A nossa intenção de colocá-lo tão cedo na escola estava mais no interesse da obtenção de interação social com outras crianças que aquisição de qualquer habilidade cognitiva.

No início ele evitava a sala de aula preferia se isolar na quadra de esportes ou no parquinho, a professora conseguia com algum esforço levá-lo a sala, porém era difícil fazê-lo participar de qualquer atividade. Com freqüência éramos chamados para buscá-lo por conta de seu sono que sempre vinha no meio da tarde e não tinha nada que conseguisse mantê-lo acordado, ele costumava ficar até uma semana sem ir para escola por conta deste sono fora de hora em que dormia durante as tardes e ficava acordado até altas horas da madrugada. Essas ausências por longos períodos faziam com que todos os progressos conseguidos em sala de aula fossem perdidos e a cada semana tínhamos que começar tudo de novo.

Tudo começou a mudar a partir de maio deste ano (coincidentemente semanas após o início da dieta SGSC). Seu sono normalizou-se e com isso começou a freqüentar a escola diariamente, começou a participar das atividades propostas pela professora, parou de fazer birra para ir a escola, muito pelo contrário vai sorrindo e feliz, e o que estamos achando mais importante: está começando a interagir com os coleguinhas.

Nesta segunda-feira tivemos uma grande novidade, ao chegar à escola para levá-lo para casa encontrei a professora Loara toda feliz e entusiasmada, ela dizia: - Marcelo você não vai acreditar no que aconteceu hoje, Pedro brincou de roda com os coleguinhas, brincou de pique e ainda por cima correu atrás dos meninos com uma alegria que você precisava ver. Eu fui logo perguntando: - E aí, filmou este momento raro? Ela disse que chegou a procurar pela câmara filmadora da escola e disseram que estava quebrada, contudo, não se fez de rogada chamou duas testemunhas para assistir a cena: a Pró Letícia (Diretora da escola) e a Pró Isabel. Todas ficaram surpresas e contentes com mais este avanço de Peu, eu então não me contive de tanta alegria, saber que meu filho está começando a interagir com outras crianças me deixa mais confiante dos seus progressos e mostra que os esforços de todos para a melhora de sua interação social tem dado bons resultados.

4 comentários:

  1. Oi, Marcelão!

    É linda e emocionante a sua narrativa sobre os progressos de Peu.
    Tenho certeza absoluta que um dia Peu sentirá muito orgulho do Paizão querido dele, que não mede esforços para torná-lo ainda mais feliz.
    Que Deus os abençoe e ilumine hoje e sempre.
    AMO MUITO VOCÊS!

    ResponderExcluir
  2. Estou acompanhando esse blog há pouco tempo e estou encantada com tudo que estou aprendendo em tão poucotempo.
    Só fiquei com uma dúvida(talvez por não ter lido tudo).
    Peu possui asperger?

    ResponderExcluir
  3. Marcelo são 3:30 da manhã estava pesquisando sobre autismo e encontrei o blog do Peu e fico feliz pelo progresso dele, e sei de tua alegria, e compreendo a possivel dor pois meu filho apresenta caracteristica de espectro autista.É emocionante quando percebemos a evolução. Vou acompanhar o blog e gostaria de trocar experiências para ajudar nossos filhos. dinellycarlos@hotmail.com abç

    ResponderExcluir
  4. Olá, estou suspeitando que meu filho seja autista ou no mínimo que tenha transtorno de desenvolvimento, também moro em Salvador, você poderia me indicar bons profissionais (neuropediatra, fono, T.O., psicóloga, etc.)? Já o levei numa neuropediatra, mas não gostei mto. Fico grata. Meu email é kpol3183@gmail.com

    ResponderExcluir