sábado, 23 de fevereiro de 2008

Ciência ajuda a validar dieta especial para o autismo

Novos dados científicos e opinião suportam nutrição e intervenção dietética como ajuda para quem tem autismo. O livro recentemente atualizado pela especialista em dieta no autismo, Alimentando Esperanças (Nourishing Hope), explica a razão científica para usar a dieta.

Para cada 150 crianças diagnosticadas com autismo, tradicionalmente pensando são recomendadas apenas terapias de comportamento e de comunicação e medicamentos para controlar os sintomas. Julie Matthews, diplomada em consultoria nutricional e autora do livro “Alimentando Esperanças” sabe que alguma coisa está faltando. Opções de tratamento têm sido limitadas devido a uma perspectiva do autismo ser estritamente cerebral ou desordem psiquiátrica. “Felizmente a ciência está repensando o autismo e novos dados suportam a idéia de que uma dieta especial pode ajudar. ” diz Julie.

Cientistas da Universidade Ocidental de Ontário recentemente ligaram o composto produzido no sistema digestivo (também encontrado em trigo e produtos do leite) ao comportamento tipo autístico, que pode demonstrar que o que as crianças autistas comem pode alterar o funcionamento cerebral. Comentando sobre o estudo, Dra. Martha Herbert, Professora assistente em Neurologia na Universidade de Medicina de Harvard, disse recentemente a CBC News no Canadá, “Agora nós estamos aprendendo que o cérebro e o corpo podem influenciar um ao outro. Há compostos químicos produzidos e influenciados por alimentos que têm capacidade de afetar o cérebro.” Se esses alimentos forem removidos, os impactos negativos podem deixar de existir.

A nova edição do livro de Matthews, Alimentando Esperanças, destaca pesquisas recentes em bioquímica e nutrição para autismo, e explica a reação científica a uma intervenção na dieta para ajudar na restauração da saúde. Médicos e pesquisadores estão agora reconhecendo o que especialistas em nutrição como Julie tem conhecimento há anos, que o cérebro é uma “corrente que desce” da bioquímica do corpo, e não existe origem única dos problemas vistos no autismo.

De fato, o editor chefe do jornal periódico, Terapias Alternativas na Saúde e Medicina “Alternative Therapies in Health and Medicine”, Mark A. Hyman, M.D., propõe um novo “sistema no modo de pensar” sobre autismo, em seu artigo atual, Is The Cure For Brain Disorders Outside The Brain? - ( A cura para desordens cerebrais está fora do cérebro?). Ele diz que deficiência nutricional e desigualdades podem explicar alguns sintomas do autismo e que “a influência do corpo no cérebro deve vir para a vanguarda de pesquisa e tratamento.”

Para ajudar a tratar o autismo, Julie recomenda evitar glúten e caseína (trigo e leite) por que esses alimentos são conhecidos por afetar uma resposta no cérebro, como semelhante a morfina, levando a pensamentos desorientados, e desejos por alimentos em crianças. Ela também sugere introduzir alimentos que são fáceis de digerir, ricos em bactérias boas, e ricos em nutrientes, tais como sopas de legumes, alimentos naturalmente fermentados, e purê de legumes escondidos em almôndegas, assim também como suplementos tais como óleo de fígado de bacalhau, probióticos (bactéria boa), vitamina B6, Magnésio, e Zinco.

Crianças com autismo têm a tendência a ter uma dieta muito limitada, a idéia de retirar o trigo e o leite pode ser um desafio inicialmente para alguns pais porém, Julie encoraja explicando “uma vez que você retira o alimento problemático que pode ser aditivo, as crianças podem expandir suas dietas abundantemente.” Milhares de pais que têm usado intervenção nutricional, confirmando que o que eles dão a seus filhos claramente faz a diferença.

Já que os pais determinam as dietas de seus filhos, essa chave para o autismo está literalmente em suas mãos.

Julie Matthews é uma Consultora diplomada em Nutrição especializada em desordens do espectro autístico. Ela é palestrante nacional em conferências sobre autismo, e faz demonstrações de preparação de alimentos tradicionais que curam. Julie tem uma consultoria privada e um show de rádio em San Francisco e ajuda famílias em toda parte do mundo.

Artigo retirado do http://www.prweb.com/ em 27/11/2007 e traduzido pelo site Autismo Infantil

Nenhum comentário:

Postar um comentário