sábado, 9 de agosto de 2008

O que é Autismo?

O autismo é um distúrbio neurológico que rompe o aprendizado e a socialização de uma criança.

Sendo o nome derivado do grego “self” (a própria pessoa), o autismo é freqüentemente associado com crianças que parecem concentradas em si próprias e exibem comportamentos estranhos. É um distúrbio de aspecto, o que significa que duas pessoas diagnosticadas com autismo podem ter sintomas e/ou características diferentes.

Crianças com o distúrbio variam de altamente produtivas (quase indistinguível das crianças que não tem autismo) a profundamente incapazes.
Algumas crianças diagnosticadas com autismo podem ter outros diagnósticos, como o Distúrbio de Asperger ou Distúrbio de Desenvolvimento Generalizado - não especificado de outra forma (PDD-NOS).

O autismo é a terceira incapacidade de desenvolvimento mais comum, seguindo o retardo mental e a paralisia cerebral; é a 4 vezes mais prevalente em meninos do que em meninas. Os Centros de Controle para Prevenção de Doença estima agora que uma a cada 150 nascidas nos Estados Unidos hoje terá o espectro do autismo. Estima-se que 1.500.000 pessoas nos Estados Unidos hoje têm autismo. O autismo é geralmente diagnosticado durante os três primeiros anos de vida. Não há teste médico para o autismo; um diagnóstico é determinado por um grupo de profissionais através de observação e testes com a criança, associados com entrevistas com os pais ou responsáveis. Nesse grupo de profissionais pode incluir um neurologista, psicólogo, pediatra especialista em desenvolvimento infantil, fonoaudiólogo, e/ou outros profissionais conhecedores do autismo. As descobertas do grupo são então comparadas com o protocolo definitivo para indicar um diagnóstico de autismo como apresentado no DMS IV – TR (Manual Diagnóstico e Estatístico para Distúrbios Mentais – 4ª edição Texto Revisado) publicado pela Associação Psiquiátrica Americana.

Para que se faça um diagnóstico, a criança deve exibir alguns sintomas nas três categorias seguintes, embora o nível de gravidade possa variar:

1. Danos qualitativos na interação social. Crianças com autismo podem ter grande dificuldade em desenvolver relacionamentos com seus pares apropriados ao seu nível de desenvolvimento. Muitos podem ter dificuldades em entender regras ou sugestões sociais, participar de comunidade ou atividades de lazer, ou outras.

2. Danos qualitativos na comunicação. Crianças com autismo podem ter dificuldades em entender a linguagem falada ou ler comunicações “não-verbais”, tais como expressões faciais ou gestos. Alguns falam de maneira estranha ou não convencional.

3. Modelos de comportamento, interesses e atividades restritas repetitivas e estereotipadas. Crianças com autismo podem ter preocupações incomuns, estranhas ou maneirismos motores repetitivos, e/ou modelos de interesse restritos que são anormais ou em intensidade ou em foco.

A dificuldade em processar a absorção sensorial pode levar algumas crianças a ter reações incomuns aos sons, toques, visões ou cheiros.

Freqüentemente crianças com distúrbios do espectro do autismo exibem desenvolvimento irregular nas habilidades motoras, sociais, comunicação, de adaptação e cognitivas. Algumas vezes, forças significantes em habilidades isoladas podem associar-se com déficits significantes em outras. Como outras crianças, elas respondem ao seu ambiente de maneira positiva ou negativa.

Embora o autismo possa afetar a variação de respostas e torna mais difícil controlar como corpo e a mente reagem às situações do dia-a-dia, as pessoas com distúrbios do espectro do autismo vivem períodos de vida normal e certos comportamentos associados podem co-existir com o autismo, como ataques, retardo mental, ou distúrbio obsessivo e compulsivo.

Os cientistas e pesquisadores estão explorando um número de teorias relacionadas às causas do autismo. Infelizmente, até agora, nenhuma causa ou cura foi identificada.

Lista de checagem do autismo

  • insistência na mesmice, resiste à mudança da rotina;
  • déficits graves na linguagem;
  • dificuldade em expressar as necessidades, usa gestos ou aponta ao invés de palavras;
  • ecolalia (repetição de palavras ou frases no lugar de linguagem normal, responsiva);
  • rir, chorar, ou mostrar aflição sem motivo aparente;
  • dificuldade em se misturar com os outros;
  • pode não querer ser tocado ou não acariciado fisicamente;
  • pouco ou nenhum contato com os olhos;
  • não receptivo aos métodos de ensinamento padrão;
  • rodopiar objetos;
  • ligação inapropriada a objetos;
  • aparente super sensibilidade ou falta de sensibilidade à dor;
  • nenhum medo real de perigos;
  • super atividade física notável ou extrema falta de atividade;
  • não responsivo às sugestões verbais, age como se fosse surdo embora sua audição esteja à nível normal;
  • habilidades motoras delicadas / grosseiras irregulares (pode não chutar uma bola, mas pode empilhar blocos).

Obs.: Esta lista de sintomas não é um substituto de uma avaliação diagnóstica completa.

Trecho retirado de publicação da ASA - Autism Society of America

Um comentário:

  1. estou passando aqui para comentar sobre um site sobre autismo novo que eu fiz para poder ajudar as pessoas que tem familiares com autismo se quiserem dar uma olhadinha é este daqui:

    www.portaldoautismo.site88.net

    ResponderExcluir